Dica: Aprenda a medir a pressão arterial em casa!Previous Article
Carnaval 2018: Efetivo e tecnologia reduziram violência!Next Article
Breaking News

Portal de Notícias e Serviços de São Francisco do Conde e Região

Muito sol no carnaval? Cuidados com a pele no verão evitam lesões graves

Line Spacing+- AFont Size+- Print This Article
Muito sol no carnaval? Cuidados com  a pele no verão evitam lesões graves

Nesta época do ano, o protetor solar é um grande aliado na proteção contra os raios agressivos do sol. Saiba como se prevenir e tratar manchas e queimaduras solares.

 

No verão e com o feriadão de carnaval entrando muita gente se aventura por trilhas, montanhas e praias, mas acaba se esquecendo que a mesma luz solar que pode iluminar a aventura ou deixar o corpo mais bronzeado, pode também causar queimaduras que podem se tornar sérias e estragar as tão desejadas férias.

Luz solar e lesão cutânea


A pele protege o resto do corpo contra a ação dos raios solares, uma fonte de radiação ultravioleta (UV) que pode lesar as células. A exposição excessiva, ainda que de curta duração, produz queimaduras solares. Com a exposição prolongada à luz solar, a camada superior da pele (epiderme) torna-se mais espessa e as células cutâneas produtoras de pigmento (melanócitos) aumentam a produção do mesmo (melanina), o qual provê à pele a sua cor. A melanina, uma substância protetora natural, absorve a energia dos raios ultravioleta e impede que eles penetrem mais profundamente nos tecidos.

A sensibilidade à luz solar varia de acordo com a raça, a exposição prévia e a cor da pele, mas todo mundo é vulnerável em um certo grau. Como os indivíduos de pele escura possuem mais melanina, eles possuem uma maior resistência aos efeitos nocivos do sol, como queimaduras, envelhecimento prematuro da pele e câncer de pele.

eu atleta queimadura (Foto: Getty Images)

Queimadura solar

A queimadura solar ocorre em conseqüência da exposição excessiva aos raios ultravioleta B (UVB). Dependendo do tipo de pigmento de pele que um indivíduo possui e da quantidade da exposição ao sol, a pele torna-se vermelha, edemaciada e dolorosa uma hora a um dia após a exposição. Posteriormente, pode ocorrer a formação de bolhas e a pele pode descamar. Alguns indivíduos com queimadura solar apresentam febre, calafrios e fraqueza e aqueles com queimaduras solares muito graves podem inclusive entrar em choque (hipotensão arterial, desmaio e fraqueza profunda).

Perigos da radiação solar

O sol irradia energia de diferentes comprimentos de onda. Por exemplo, a luz amarela tem um comprimento de onda mais longo que a luz azul. Os comprimentos de onda da luz ultravioleta (UV) são mais curtos que os comprimentos de onda da luz visível, podendo lesar o tecido vivo. Felizmente, a camada de ozônio situada na parte superior da atmosfera filtra a maioria dos comprimentos de onda UV lesivos, mas parte dessa luz UV, principalmente a incluída nas faixas de comprimento de onda A (UVA) e B (UVB), chega à terra e pode causar lesão cutânea. As características e a quantidade de luz UV variam de acordo com a estação, o clima e a localização geográfica. Devido à forma com que os raios solares atravessam a atmosfera nas diferentes horas do dia nas zonas temperadas, a exposição da pele ao sol é menos prejudicial antes das dez da manhã e após as três da tarde

Prevenção

O melhor modo (e o mais óbvio) de evitar o dano causado pelo sol é permanecer longe da luz solar direta e intensa. As vestimentas adequadas e os vidros comuns das janelas filtram praticamente todos os raios nocivos. A água não é um bom filtro de raios UV. Os raios UVA e UVB podem atravessar aproximadamente 30 centímetros de água transparente, como podem perceber aqueles que mergulham próximo à superfície e aqueles que caminham descalços pela borda. Tampouco as nuvens ou a neblina são bons filtros de raios UV. Um indivíduo pode sofrer queimaduras solares em um dia nublado ou com cerração.

eu atleta protetor solar (Foto: Getty Images)

Antes da exposição à luz solar direta e intensa, o indivíduo deve aplicar um filtro solar (uma pomada ou um creme contendo substâncias químicas que protegem a pele filtrando os raios UVA e UVB). Muitos filtros solares são impermeáveis ou resistentes à água. Um tipo comum e eficaz de filtro solar contém o ácido para-aminobenzóico (PABA).

Como ele exige 30 a 45 minutos para fixar- se fortemente à pele, a natação ou a sudorese logo após a sua aplicação irá eliminá-lo da pele. Ocasionalmente, os filtros solares contendo PABA causam irritação da pele e algumas pessoas podem apresentar reações alérgicas a ele. Um outro tipo de filtro solar contém uma substância química denominada benzofenona. Muitos filtros solares contém PABA e benzofenona ou outras substâncias químicas. Essas combinações fornecem uma proteção contra uma gama mais ampla de raios UV. Outros filtros solares contêm barreiras físicas (p.ex., óxido de zinco ou dióxido de titânio).

Nos Estados Unidos, os filtros solares são classificados pelo seu número de fator de proteção solar (FPS). Quanto maior o número do FPS, maior a proteção. Os filtros solares com um FPS 15 ou superior bloqueiam a maioria dos raios UV, mas não existe um filtro solar que bloqueie todos eles. A maioria dos filtros solares tende a bloquear apenas os raios UVB, mas os raios UVA também podem causar danos à pele. Alguns filtros solares mais recentes são algo mais eficazes no bloqueio de raios UVA.

Tratamento
O primeiro formigamento ou rubor é um sinal para abandonar rapidamente a exposição ao sol. As compressas de água corrente gelada podem aliviar as áreas avermelhadas, assim como as loções ou pomadas sem anestésicos ou perfumes que possam irritar ou sensibilizar a pele. Os comprimidos de corticosteróides podem ajudar a aliviar a inflamação e a dor em poucas horas. A pele queimada pelo sol começa a curar espontaneamente em poucos dias, mas a cura completa pode levar semanas.

As queimaduras solares nas pernas, sobretudo das canelas, tendem a ser particularmente desconfortáveis e a sua cura é lenta. As áreas da pele raramente expostas à luz solar podem sofrer queimaduras graves por possuírem pouco pigmento. Essas áreas incluem aquelas normalmente cobertas pelas roupas de banho, o dorso do pé e o pulso, o qual é normalmente protegido por um relógio.

A pele lesada pelo sol torna-se uma barreira deficiente contra a infecção e, quando esta ocorre, pode retardar a cura. O médico pode determinar a gravidade da infecção e, quando necessário, prescrever antibióticos. Após a pele queimada descascar, as novas camadas expostas ao sol são finas e muito sensíveis à sua radiação. Essas áreas podem permanecer extremamente sensíveis durante várias semanas.

Reações de fotossensibilidade da pele

Embora as queimaduras solares e as lesões causadas pela luz solar demorem para aparecer, alguns indivíduos apresentam reações incomuns após apenas alguns minutos de exposição ao sol. Essas reações incluem a hiperemia, a descamação, a urticária, bolhas e áreas espessas e descamativas. Muitos fatores podem contribuir para essa sensibilidade ao sol (fotossensibilidade).

A causa mais comum é o uso de certos medicamentos (p.ex., alguns antibióticos, diuréticos e agentes antifúngicos). As reações de fotossensibilidade também podem ser causadas por sabões, perfumes como águas de toalete perfumadas (especialmente as que contêm bergamota e têm o odor de menta ou de frutas cítricas), alcatrões da hulha utilizados no tratamento da escabiose e do eczema e substâncias encontradas em plantas (p.ex., capim-do-prado e salsa).

eu atleta descamando  (Foto: Getty Images)

.

.

.Bibliografia: 

Brown TT, Quain RD, Troxel AB, Gelfand JM: The epidemiology of sunburn in the US population in 2003.J Am Acad Dermatol. 2006 Oct;55(4):577-83.
Patient information. Protect yourself from the sun.:Adv Nurse Pract. 2006 Jul;14(7):31. No abstract available. 
Cokkinides V, Weinstock M, Glanz K, Albano J, Ward E, Thun M.
: Trends in sunburns, sun protection practices, and attitudes toward sun exposure protection and tanning among US adolescents, 1998-2004.Pediatrics. 2006 Sep;118(3):853-64.
Samanek AJ, Croager EJ, Giesfor Skin Cancer Prevention P, Milne E, Prince R, McMichael AJ, Lucas RM, Slevin T
.: Estimates of beneficial and harmful sun exposure times during the year for major Australian population centres.Med J Aust. 2006 Apr 3;184(7):338-41.
John Wiley Profession:
merck manual of diagnosis and therapy, the (2006) merck

0 Comments

No Comments This Article Has No Comments Yet

Sorry, either someone took all the comments and ran away or no one left any in the first place !

But You can be first to leave a comment !

Leave Your Comment

Your email address will not be published. Required fields are marked *

Banner

Previsão do Tempo

Enquete

O que você espera do ano de 2018?

View Results

Carregando ... Carregando ...

TV São Francisco do Conde

Digite seu endereço de email para receber novas notícias por email.

WhatsApp vai parar de funcionar em alguns celulares – Saiba quais!

Banner
Banner
Banner
Banner
Banner
}
AllAccessDisabledAll access to this object has been disabled9527EF8787E67379xK1d/CEik/4nSnYf/Btjl+2fW6In1itAAAGC5OhWdMQE/zwq2+ZxXydno+PU5KCUmuWVsAedl0k=